Sensações positivas e negativas geradas em vivências de atividades físicas de aventura e suas influências na percepção do estado de bem estar de estudantes universitários

As motivações que levam à aderência às atividades físicas de aventura são diversas e têm levado a prática de tais atividades a um crescimento considerável nos últimos anos. A vivência dessas atividades de aventura junto à natureza é capaz de induzir os praticantes a novas sensações e percepções, diferentes das vividas no cotidiano. Tendo em vista que os aspectos subjetivos, por sua complexidade, são ainda pouco explorados nesse contexto, este estudo teve como objetivo investigar a influência de sensações positivas e negativas na percepção do estado de bem estar, após a vivência de atividades de aventura, realizadas em ambiente natural. A atividade proposta incluiu uma trilha a cachoeiras e a atividade boia-cross. A amostra intencional foi constituída por 43 estudantes de um curso superior de Graduação em Educação Física, de ambos os sexos, com idades entre os 18 e 26 anos, participantes de uma excursão didática à cidade de Brotas/SP. O estudo, de natureza qualitativa, foi desenvolvido por meio de pesquisa exploratória e como instrumento para a coleta de dados foi aplicado um questionário aberto com duas questões sobre o tema proposto. Os dados foram analisados descritivamente, por meio da Técnica de Análise de Conteúdo Temático. As sensações citadas após as vivencias são diversas, podendo ser destacadas entre as positivas: prazer, satisfação, relaxamento, liberdade e alegria. Entre as negativas: frio, medo, algumas dores e cansaço. A ansiedade foi citada por dois estudantes como uma sensação positiva, e por um como negativa. Ainda, quatro estudantes citaram a adrenalina como responsável pela percepção das sensações positivas e negativas durante as atividades vivenciadas. Para a questão relacionada à influência das sensações positivas e negativas no estado de bem estar, 41 estudantes consideram que ambas as sensações influenciam, pois , segundo eles, durante as atividades há alteração de humor, influenciando, assim, o bem estar, para melhor ou para pior. Dois estudantes não consideram que as sensações podem influenciar o estado de bem estar, justificando que estas são breves e se modificam conforme são realizadas outras atividades. Pode-se concluir, pelas respostas dos estudantes, que as atividades de aventura despertam sentimentos diversos e que, segundo a percepção dos participantes do estudo, as sensações negativas são pontuais, prevalecendo o estado de bem estar gerado pela influência das sensações positivas, decorrentes da atividade de aventura e do contato com a natureza. Tornam-se relevantes novos olhares sobre os aspectos subjetivos envolvendo a prática de atividades de aventura na natureza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *