Jogos populares no Brasil: A transmissão da diversidade cultural por meio do brincar

Grande parte dos jogos populares brasileiros que fazem parte da cultura lúdica das crianças durante várias gerações estão desaparecendo devido às mudanças da sociedade, como o desaparecimento dos espaços do brincar, a violência e a insegurança, e a influência da mídia e videogames. O presente trabalho tem por objetivo reconhecer as diferentes contribuições dos jogos populares na construção dos sujeitos infantis e sua relação com a cultura. A brincadeira é uma construção cultural transmitida em qualquer contexto social; construída na relação com seus pares, influenciados pela estrutura de transmissão do conhecimento. O brincar é uma reconstrução da realidade e dos sujeitos que se encontram envolvidos naquela cultura. A cultura refere-se à organização estrutural de normais sociais, rituais, regras de conduta e sistemas de significado compartilhados pelas pessoas que pertencem a certo grupo etnicamente homogêneo. O brincar é uma construção social que se modifica ao longo dos tempos e culturas. Os jogos populares são transmitidos de geração em geração, pela informalidade e anonimato, de difícil precisão de origem, sendo patrimônio da cultura infantil. A determinação dos jogos brasileiros se dá na apropriação da cultura lúdica no processo de formação da sociedade com influências significativas dos portugueses, africanos e índios. Os procedimentos metodológicos consistem em duas partes. Primeiramente utilizou-se a abordagem dedutiva, onde parte de teorias e leis com princípios universais e previamente aceitos para a elaboração de conclusões sobre fenômenos universais ou particulares; e por fim o segundo é relativo ao tipo de pesquisa adotado, neste caso, a pesquisa indireta que é caracterizada pela utilização de informações, conhecimentos, e dados já coletados por outras pessoas e demonstrados de diversas formas.
Considera-se que reviver e ativar os jogos populares são fatores importantes para a vivência da cultura lúdica dos sujeitos na atual sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *